skipToMain
ASSINAR
LOJA ONLINE
SIGA-NOS
Guimarães
27 maio 2024
tempo
18˚C
Nuvens dispersas
Min: 17
Max: 19
20,376 km/h

Vitória lucra 4,63 milhões nas atividades do clube e 1,74 com a SAD

Redação
Desporto \ sábado, setembro 30, 2023
© Direitos reservados
Relatório e contas mostra que a venda das ações à V Sports influenciou fortemente o resultado positivo do clube. Já a SAD viu os rendimentos com jogadores duplicarem e gastos com pessoal diminuírem.

O Vitória terminou a época 2022/23 com um resultado líquido positivo de 6,4 milhões de euros; esses números repartem-se pela atividade do clube, cujo lucro foi de 4,63 milhões de euros, e a SAD, cujo lucro foi de 1,74 milhões. Os dados encontram-se no relatório e contas publicado no sítio oficial do clube esta sexta-feira. A sua apreciação, discussão e votação está marcada para a assembleia geral de 06 de outubro.

As contas da SAD entram no verde depois de uma época 2021/22 com um prejuízo de 13,7 milhões de euros; essa alteração resulta sobretudo da rubrica “outros rendimentos e ganhos”, que praticamente duplicaram: dos 12,1 para os 23,8 milhões.

Desses 23,8 milhões de euros, 22,6 milhões têm origem nas transferências dos defesas Falaye Sacko e Abdul Mumin, dos médios Gui e André Almeida e dos avançados Rochinha, Herculano Nabian e Bruno Duarte, no início da época 2022/23, e do defesa Ibrahima Bamba, do médio Janvier e do ponta de lança Anderson no final da época transata.

A SAD também registou um aumento de dois milhões de euros nas vendas e serviços prestados – 11,3 para os 13,2 milhões. Metade desse ganho resultou dos segmentos comercial e da bilhética do dia de jogo enquanto a outra proveio do mecanismo de solidariedade associado à transferência de Raphinha do Leeds para o Barcelona – 900 mil euros.

Ao nível dos gastos, a SAD diminuiu os gastos com pessoal de 19,6 para 15,6 milhões de euros, compensando o aumento dos gastos com fornecimentos e serviços externos, dos 5,8 para os 7,4 milhões.

As contas consolidadas de clube e SAD mostram que os rendimentos totais cresceram 79%, dos 25,92 para os 45,47 milhões de euros, enquanto os gastos totais desceram 4,2%, dos 29,41 para os 28,15 milhões.

No clube, encarregue de outras 13 modalidades desportivas, o lucro foi de 4,63 milhões após um resultado negativo de 312 mil euros em 2021/22. A variação influenciada pela venda de ações da SAD ao fundo V Sports por 5,5 milhões de euros, aprovada em 03 de março, numa assembleia geral, que inicialmente foi de 46% das ações antes de descer para os 29% no final de junho.

O total de proveitos subiu assim de 4,6 para 10,6 milhões de euros, enquanto os gastos subiram de 3,8 para 5 milhões de euros.

Já o capital próprio agregado do clube e da SAD do Vitória de Guimarães aumentou dos 4,3 para os 10 milhões de euros, tendo acompanhado a subida do ativo dos 62,2 para os 68,3 milhões de euros.

O passivo, por seu turno, aumentou dos 57,9 para os 58,3 milhões de euros, pertencendo quase todo à SAD (53 milhões), embora o passivo corrente, que, por norma, engloba todas as obrigações financeiras a cumprir no prazo de um ano, tenha descido dos 36,7 para os 31,7 milhões.

Podcast Jornal de Guimarães
Episódio mais recente: O Que Faltava #73