skipToMain
ASSINAR
LOJA ONLINE
SIGA-NOS
Guimarães
04 agosto 2021
tempo
18˚C
Nuvens dispersas
Min: 17
Max: 19
20,376 km/h

O futuro tem Partido

Torcato Ribeiro
Opinião \ quarta-feira, março 31, 2021
© Direitos reservados
Comemoram-se cem anos de um partido cuja história se confunde com a história do povo português

Foi há cem anos, no dia 6 de Março de 1921, que nasceu o Partido Comunista Português. A classe operária passou a contar na defesa dos seus interesses e reivindicações com uma força política independente da influência política e ideológica da burguesia e foi o primeiro passo na construção do caminho com cem anos que hoje se assinala. Passos iniciais difíceis, marcados pela permanente aprendizagem, pela inexperiência e falta de maturidade ideológica e sobretudo pelas dificuldades causadas pelo golpe militar que leva à sua ilegalização no ano de 1926. Com uma forte ligação aos trabalhadores e ao povo consegue manter a sua intervenção politica durante os 48 anos da ditadura fascista.

E é neste meio século de vida, debaixo de um regime repressivo, que o PCP se afirma e projecta para o futuro como um partido de heróis, construído por homens, mulheres e jovens, dirigentes ou militantes de base, funcionários clandestinos ou vivendo na legalidade, dos mais destacados aos mais modestos que, enfrentando a perseguição, a prisão, a tortura e arriscando a própria vida, lutaram pela libertação do povo português.

Comemoram-se cem anos de um partido cuja história se confunde com a história do povo português e da única força política que conseguiu resistir à violência da repressão fascista, organizar-se na clandestinidade e tornar-se indestrutível, conquistar o honroso título de vanguarda da classe operária e de todos os trabalhadores e afirmar-se como força fundamental da luta anti fascista e indiscutível baluarte da conquista da liberdade e da revolução de Abril.

Um partido forjado em duros combates de classe, que rejeitando “modelos” de revolução sempre procurou aprender com a experiência dos demais partidos comunistas e revolucionários, mas sobretudo com a experiencia do seu próprio percurso, assumindo a sua história por inteiro, sem excluir atrasos, insuficiências e erros.

Portador de uma teoria revolucionária, o marxismo-leninismo, o PCP é o partido da luta contra o fascismo, pela liberdade e a democracia, contra o colonialismo e as guerras coloniais e pela independência das colónias portuguesas; o Partido da Revolução de Abril, das suas conquistas e avanços, e da resistência à contra-revolução; o Partido da independência e soberania nacionais; o Partido da solidariedade internacionalista, da paz, amizade e cooperação entre os povos; o Partido da luta pela satisfação das mais urgentes e sentidas reivindicações dos trabalhadores e das populações; o Partido da luta pela ruptura com políticas de direita e por uma política alternativa patriótica e de esquerda, uma democracia inspirada nos valores de Abril.

Cem anos e muitas gerações depois, o PCP continua a honrar os princípios da sua fundação em 1921, reafirmando um projecto de transformação social que acabe com a exploração, por uma democracia avançada, pelo socialismo.

Está de parabéns o PCP pelos seus 100 anos de lutas por uma Terra sem amos!

Abril de 2021

Podcast Jornal de Guimarães
Episódio mais recente: Guimarães em Debate #8