skipToMain
ASSINAR
LOJA ONLINE
SIGA-NOS
Guimarães
14 junho 2024
tempo
18˚C
Nuvens dispersas
Min: 17
Max: 19
20,376 km/h

Centro Histórico: "Cidades que fecharam ao trânsito cresceram no comércio"

Carolina Pereira
Política \ sexta-feira, janeiro 14, 2022
© Direitos reservados
Ricardo Araújo defende realização de estudo socioeconómico de centro histórico. Domingos Bragança lembra intenção de fechar zonas ao trânsito e acena com benefícios para o comércio tradicional.

Em contexto de reunião de Câmara, Ricardo Araújo, vereador da coligação Juntos por Guimarães, demonstrou, na sua intervenção, preocupação com o ruído e segurança no Centro Histórico, apelando à realização de um estudo socioeconómico sobre essa zona da cidade. A vereadora com o pelouro do Ambiente, Sofia Ferreira, lembrou a elaboração de um mapa de ruído. "Na sequência desse trabalho um plano municipal que prevemos que seja entregue no próximo mês de abril, esse plano depois de concluído iniciaremos uma fase seguinte, um regulamento municipal de ruído para áreas urbanas e parques", referiu.

O vereador do Partido Social Democrata defende que se devem medir “da forma mais harmoniosa possível” os interesses em causa de empresários e moradores e que, para isso, é necessária uma intervenção da parte do Município. “Não queremos uma mono utilização do centro histórico. O desafio de conseguir compatibilizar exige que saibamos com rigor o que tem acontecido do ponto de vista social e económico”, afirma.

Como segundo desafio, Ricardo Araújo sublinha a importância de avançar com a pedonalização definitiva do centro histórico, “algo que vimos a defender há muito tempo". Domingos Bragança relembra que o objetivo da construção do parque de Camões está relacionado com a pedonalização e justifica o atraso da concretização dessa meta com o contexto pandémico. "Nós estávamos nos finais de 2019, início de 2020, para implementar no início o fecho da Alameda são Dâmaso, parte norte do Toural e Rua de Santo António e aconteceu a pandemia, não fazia sentido fechar nessa altura", indicou o autarca.

“Se a pandemia nos deixar, nós equacionaremos retomar o fecho ao fim-de-semana destes arruamentos, mas quero ir mais longe, fechar a Rua da Rainha, apenas com acesso prioritário. Mas, no dia a dia só para peões. Construímos o parque de Camões com objetivo de pedonalizar o centro histórico. Não é preciso estudo, todas as cidades que fecharam ao trânsito cresceram no comércio".

Podcast Jornal de Guimarães
Episódio mais recente: O Que Faltava #73