skipToMain
ASSINAR
LOJA ONLINE
SIGA-NOS
Guimarães
18 maio 2024
tempo
18˚C
Nuvens dispersas
Min: 17
Max: 19
20,376 km/h

Freguesia da Costa convida Marcelo a visitar Igreja de Santa Marinha

Redação
Política \ quarta-feira, fevereiro 15, 2023
© Direitos reservados
Presidente da República estará em Guimarães na sexta-feira, e comissão criada na freguesia pede visita à igreja em estado de degradação, parte de conjunto que é Imóvel de Interesse Público desde 1936.

A degradação da Igreja de Santa Marinha da Costa já foi reconhecida pela Direção Regional de Cultura do Norte (DRCN), e a Assembleia de Freguesia da Costa quer que o estado daquele templo, parte do conjunto classificado como Imóvel de Interesse Público em 24 de março de 1936, seja visto pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa; o órgão deliberativo da freguesia lançou esse convite na quarta-feira, através da comissão constituída para defesa daquele património histórico e cultural, lê-se na nota enviada às redações.

“A comissão vem, por este meio, dar nota pública da formalização do convite endereçado pelo senhor padre Carlos Sousa, na qualidade de pároco, líder da fábrica da igreja paroquial de Santa Marinha da Costa e membro desta comissão, a sua excelência o senhor Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, para visitar a Igreja do Mosteiro de Santa Marinha da Costa”, refere o documento.

O objetivo, esclarece o comunicado, é “dar a conhecer” um conjunto cuja origem tem “data anterior à fundação da nacionalidade” portuguesa e sensibilizar o mais alto dignatário do Estado Português para a importância da intervenção no monumento, atento risco para pessoas e bens identificado pela DRCN”.

Marcelo Rebelo de Sousa, recorde-se, vai marcar presença no concerto que inaugura as celebrações dos 49 anos da Universidade do Minho (UMinho), marcado para as 21h30, na Igreja de São Francisco, sob direção do maestro Vítor Matos, com um reportório que inclui “Egmont”, de Beethoven, e “Gloria”, de Poulenc, com interpretação interpretadas por Dora Rodrigues (soprano), Vítor Moura (narrador), Vítor Lima (diretor do coro), da Orquestra Académica da UMinho, do Coro do Departamento de Música da UMinho e do VianaVocale – Coro da Academia de Música de Viana do Castelo.

A origem da Igreja e do Mosteiro de Santa Marinha da Costa remonta, pelo menos, ao século XI, quando ali se instalaram os Cónegos Regrantes de Santo Agostinho. No século XVI, esse mosteiro passa a acolher frades da Ordem de São Jerónimo, iniciando-se então as transformações até ao que se vê hoje.

Com uma fachada que se aproxima da linguagem rococó – motivos alusivos a plantas, por exemplo – e um interior decorado em talha barroca, a igreja do século XVIII depara-se com infiltrações de água e até chuva no seu interior face à degradação da cobertura.

Em dezembro último, a Junta de Freguesia da Costa afirmou ter sido notificada pela DRCN que não havia verba para requalificar a igreja, depois de se ter apontado a requalificação para o período entre 2022 e 2023, com financiamento da raspadinha afeta ao Fundo de Salvaguarda do Património Cultural, que gerou cerca de seis milhões de euros entre 18 de maio de 2021 e 18 de maio de 2022. Estimou-se em julho de 2022 que a obra custaria 550 mil euros.

Na resposta à Junta de Freguesia da Costa, a DRCN comunicou, a 19 de dezembro, não ser a entidade decisora quanto à “aplicação da verba do Fundo de Salvaguarda do Património Cultural na intervenção da Igreja de Santa Marinha da Costa”. O organismo público reiterou, ainda assim, que “não está comprometido o financiamento da obra”.

A 24 de janeiro, o arcebispo de Braga, José Cordeiro, visitou o templo na sequência das reivindicações de obras.

Podcast Jornal de Guimarães
Episódio mais recente: O Que Faltava #73