skipToMain
ASSINAR
LOJA ONLINE
SIGA-NOS
Guimarães
13 junho 2024
tempo
18˚C
Nuvens dispersas
Min: 17
Max: 19
20,376 km/h

Dormidas aumentam 18% e superam as 70 mil no primeiro trimestre de 2024

Tiago Mendes Dias
Economia \ sábado, maio 25, 2024
© Direitos reservados
Guimarães apresentou crescimento homólogo em cada um dos três primeiros meses do ano e foi o 27.º município do país com maior volume de dormidas, reunindo mais de 42 mil hóspedes.

O turismo em Guimarães exibiu uma dinâmica de crescimento no primeiro trimestre de 2024: entre 01 de janeiro e 31 de março, o número de dormidas registado pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) cifrou-se nas 70.769. Esse volume traduz um aumento de 18,4% face às 59.773 dormidas contabilizadas no período equivalente de 2023.

Março foi o mês em que a procura turística mais se intensificou entre 2023 e 2024, com um aumento de 28,7%: neste ano, as dormidas ultrapassaram as 30 mil (30.140), apesar da intensa chuva que se abateu sobre a cidade e a região durante a Semana Santa, na antecâmara da Páscoa, celebrada, em 2024, a 31 de março.

Antes, o número de dormidas cresceu 9,2% em janeiro – de 16.749 para 18.292 – e 13,9% em fevereiro – de 19.611 para 22.337. A maior procura turística reflete-se igualmente no aumento de hóspedes, de 21,9%: depois de acolher 34.627 pessoas em 2023, a cidade-berço recebeu 42.222 pessoas no primeiro trimestre deste ano.

A hotelaria sustenta praticamente três em cada quatro dormidas contabilizadas pelo INE: das 70.769 dormidas, 52.784 deram-se em hotéis (74,6%). Já o alojamento local contabilizou 16.484 dormidas (23,3%) e o turismo rural e de habitação 1.501 (2,1%). No primeiro trimestre de 2023, o peso da hotelaria nas contas do INE fora de 82,6%.

 

 

Guimarães em sétimo entre as cidades médias

O município vimaranense foi o 27.º entre os 308 do país a nível de dormidas no primeiro trimestre de 2024, após um crescimento que superou o do país – Portugal contabilizou 13,5 milhões de dormidas após um crescimento de 7,2% face ao período homólogo de 2023.

Praticamente uma em cada quatro dormidas no território nacional se deu no concelho de Lisboa, líder destacadíssimo do ranking, com 3,22 milhões (23,9% do total), acima do Funchal (1,39 milhões) e do Porto (1,14 milhões). A capital portuguesa encabeça uma tabela onde sobressaem os municípios das áreas metropolitanas de Lisboa e do Porto, do Algarve e das Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira.

Se se excluírem essas regiões da contagem, Guimarães é o sétimo município luso com mais dormidas, numa tabela liderada por Ourém. Albergue do Santuário de Fátima e do turismo religioso que lhe está associado, o concelho do distrito de Santarém contabilizou 182.427 dormidas entre janeiro e março, seguido por Évora, Coimbra e Braga, cidades médias acima das 100 mil dormidas, da Covilhã, cidade no sopé da Serra da Estrela, cuja procura se afirma no inverno, e de Aveiro, com números ligeiramente acima de Guimarães (80.400).

À exceção de Ourém, cujo crescimento atingiu os 42,8% entre 2023 e 2024, Guimarães registou o maior crescimento de procura entre os concelhos acima referidos, aquém ou igual a 10%.

No primeiro trimestre de 2024, recorde-se, o Castelo de Guimarães, um dos monumentos mais visitados do Norte e do país, esteve encerrado entre 15 de janeiro e 21 de fevereiro, antes de reabrir parcialmente em 22 de fevereiro, devido à instalação de um passadiço em metal no adarve do castelo.

Podcast Jornal de Guimarães
Episódio mais recente: O Que Faltava #73