skipToMain
ASSINAR
LOJA ONLINE
SIGA-NOS
Guimarães
22 maio 2024
tempo
18˚C
Nuvens dispersas
Min: 17
Max: 19
20,376 km/h

Emboladoura. Onde o Palácio (é feito) da Imaginação: tem Caderno de Desejos

Bruno José Ferreira
Sociedade \ sábado, junho 17, 2023
© Direitos reservados
Presidente da Câmara esteve em Gondar no bairro social da Emboladoura para inaugurar o projeto Palácio da Imaginação. Prometeu intervir no ringue e parque infantil.

Esta sexta-feira foi "um dia muito especial" para as crianças do Bairro da Emboladoura, em Gondar. A ideia foi transmitida por Bishow, o nepalês que foi mestre de cerimónias na inauguração do Palácio da Imaginação, um projeto que pretende “colocar as crianças no centro das decisões”.

E assim foi. As crianças apresentaram, mostraram os seus trabalhos a Domingos Bragança, presidente da Câmara Municipal de Guimarães, assim como às vereadoras Adelina Pinto e Paula Oliveira, que foram ao miradouro do bairro ao fim da tarde absorver um pouco do que esta comunidade tem para oferecer.

“Senhor presidente, entregamos-lhe o nosso Caderno dos Desejos, para que seja possível melhorar os projetos coletivos do bairro a partir das nossas ideias”, disseram os mais novos. Paula Oliveira lançou o repto a Domingos Bragança: “Que este Cadernos dos Desejos possa ser um Caderno de Encargos”, disse.

A vereadora com o pelouro da Associação Social sustentou que “é muito importante intervir no exterior deste bairro com 231 frações construído na década de oitenta, a parte física é muito importante, mas só faz sentido com as pessoas no centro do processo”, explicou, referindo que “ainda há o estigma dos bairros sociais”, mas Gondar é um exemplo com “projetos transformadores, com abordagens inovadoras construídas pelas pessoas”.

Domingos Bragança prometeu “olhar com atenção” para o Cadernos dos Desejos dos meninos da Emboladoura, pontuando que “há coisas para resolver a curto prazo”. “Há três meses não podíamos intervir, este espaço comum não era de tutela do município”, disse, complementando que “o ringue e o parque infantil vamos resolver o mais breve possível”. De resto, o autarca olhou para este projeto como “um bom exemplo” que deveria “ser replicado noutros locais até fora de Guimarães”.

Contudo, a vereadora Paula Oliveira sustentou que “isto não é o fim”, referindo que o “trabalho de inclusão não termina hoje”, atirando que “a transformação tem de começar dentro de cada um de nós”.

Podcast Jornal de Guimarães
Episódio mais recente: O Que Faltava #73