skipToMain
ASSINAR
LOJA ONLINE
SIGA-NOS
Guimarães
16 junho 2024
tempo
18˚C
Nuvens dispersas
Min: 17
Max: 19
20,376 km/h

Gualterianas:"Afirmar a nossa autenticidade" num "programa com intensidade"

Bruno José Ferreira
Cultura \ quarta-feira, junho 28, 2023
© Direitos reservados
Batalha das Flores está de regresso numa festividade com três dias de concerto principal e primeira parte de abertura com D.A.M.A, AGIR e The Black Mamba no cartaz. Orçamento de 300 mil euros.

Um “programa com intensidade” e “algumas novidades” foi apresentado esta quarta-feira, em pleno Jardim da Alameda de São Dâmaso, para as Festas da Cidade e Gualterianas 2023. Com um investimento global de 300 mil euros, Domingos Bragança, líder máximo do município, quer, através das Gualterianas, “afirmar a autenticidade da nossa cidade”.

O presidente da Câmara Municipal de Guimarães apelou à envolvência das associações, numa “festa de todos os vimaranenses do território concelhio e de quem nos visita”. A apresentação do programa foi feita pelo presidente d’A Oficina – e vereador da cultura – Paulo Lopes Silva, que anunciou o “regresso da Batalha das Flores após quatro anos de interregno devido à pandemia” e também o regresso da corrida de cavalos.

No que ao cartaz musical diz respeito, Paulo Lopes Silva sustentou que temos “algumas novidades”: “Regressam os três dias de concertos. Todos os concertos têm primeiras partes com artista emergente e depois nomes mais sonantes, de relevo que estão nos tops nacionais, nomes para o grande público”.

D.A.M.A, AGIR e The Black Mamba no cartaz

Bianca Barros, D.A.M.A, Soraia Tavares, AGIR, IRMA e The Black Mamba são os nomes de um cartaz que contempla os números habituais, como fados, despique de bandas, cantares ao desafio, arruada de concertinas, o desfile de charretes e o “momento alto” com a Marcha Gualteriana, segunda-feira dia 7 de agosto. A marcha terá nove carros, tal como explicou José Pontes, presidente da Associação Artística da Marcha Gualteriana.

Outra das atratividades para as Festas da Cidade e Gualterianas é a 25.ª edição da Feira de Artesanato, “bastante completa”, apesar da concorrência, vincou Catarina Pereira diretora de Artes Tradicionais d’A Oficina. “Nestes últimos anos conseguimos um grupo muito interessante”, disse, explicando que está assegurada a participação de 31 unidades produtivas artesanais de várias árias e “ampliou-se a área alimentar”.

As Festas da Cidade e Gualterianas vão decorrer no eixo entre a Alameda Alfredo Pimenta (diversões) e o Largo Repúblico do Brasil, sendo o palco principal na Plataforma das Artes e da Criatividade. A Casa da Memória e o Centro Internacional das Artes José de Guimarães estarão abertos de forma gratuita em horário alargado, das 10horas às 22 horas, nos principais dias das festividades.

“Se for necessário escalar o orçamento, o valor será aumentado”

Este ano as Festas da Cidade e Gualterianas tiveram um aumento de 50 mil euros no seu orçamento, completando um total global de 300 mil euros. Domingos Bragança assumiu que, no futuro, esse valor possa ser aumentado caso os vimaranenses entendam que se deve fazer esse “upgrade”.

“O que fazemos temos de fazer bem; estas festas são diferenciadoras e autênticas, com um capital simbólico a defender, uma vez que têm as nossas tradições. Se for necessário escalar no valor orçamental, esse valor será aumentado; mas, o importante é a envolvência dos vimaranenses”, disse.

Pode consultar o programa nesta ligação.

Podcast Jornal de Guimarães
Episódio mais recente: O Que Faltava #73