skipToMain
ASSINAR
LOJA ONLINE
SIGA-NOS
Guimarães
25 junho 2024
tempo
18˚C
Nuvens dispersas
Min: 17
Max: 19
20,376 km/h

“Um hino” aos caldos, sopas e papas: “tradição” que se promove em festival

Bruno José Ferreira
Cultura \ terça-feira, outubro 31, 2023
© Direitos reservados
A panela ferveu na manhã desta terça-feira no Mercado Municipal. Serviu-se a sopa e apresentou-se a 1.ª edição do Festival de caldos, sopas e papas de Guimarães. Há "tradições para se preservar".

“Há o estigma de que a sopa é coisa de pobre”, mas não é bem assim e a Confraria Terras de Vimaranes – criada há sensivelmente um ano – quer provar precisamente isso nos dias 18 e 19 de novembro, com a organização do 1.º Festival Caldos, Sopas e Papas de Guimarães, que terá lugar na Cooperativa Agrícola, em Creixomil.

Trata-se do “primeiro evento do género em Guimarães”, conforme deu conta Mário Moreira, presidente da Confraria, na cerimónia de apresentação do evento, que teve lugar esta terça-feira no Mercado Municipal.

“Preservar as tradições” é o grande objetivo desta primeira edição do festival, que se espera que venha a ser duradouro. “Caldos, sopas e papas: muito provavelmente estes foram os primeiros pratos que a humanidade inventou depois do fogo, e está um pouco a cair em desuso”, introduziu Mário Moreira, explicando depois que este evento “tem a componente pedagógica de dizer a toda a gente, sobretudo às gerações mais novas, que a sopa faz parte dos bons hábitos alimentares”.

Por isso, mostrar às pessoas que comer sopa “é um ato de saber bem comer” é o que se pretende, de forma festiva e com ligação ao território, uma vez que o festival contará com “cerca de trinta expositores, quase vinte restaurantes das melhores cozinhas que temos em Guimarães, os nossos vinhos, e também, algo importante, pessoas ligadas à terra, aos ranchos às coletividades”.

Pela Cooperativa Agrícola de Guimarães passarão ranchos folclóricos, grupos de cavaquinhos, concertinas, teatro, o Conservatório de Música de Guimarães, num “hino, à sopa, à gastronomia e ás tradições vimaranenses”, conforme vincou o chef Mário Moreira.

“Sustentabilidade, cultura, gastronomia e turismo fazem deste um evento com receita necessária para o sucesso e para ficar”, Paulo Lopes Silva

Esta primeira edição do festival tem o apoio da Câmara Municipal de Guimarães, e de cinco freguesias, sendo que Paulo Lopes Silva, vereador com os pelouros da cultura e do turismo, marcou presença na apresentação, destacando que o 1.º Festival Caldos, Sopas e Papas de Guimarães tem uma “ligação fundamental entre a nossa cultura, que vai desde a gastronomia e tradições locais, aos nossos vinhos, até às animações do próprio espaço”.

O vereador junta a dimensão turística, uma vez que “promovemos Guimarães pelos seus sabores e tradições, “mostrando a quem nos visita estas marcas vimaranenses”; e ainda a vertente da sustentabilidade, uma vez que não haverá plástico ou vidro, mas sim uns kits reutilizáveis à venda. “A Confraria Terras de Vimaranes apareceu com a vontade defender estas tradições, e tem também a sustentabilidade”.  

A panela ferveu no Mercado Municipal, a sopa, as papas e os caldos foram servidos de forma simbólica e está dado o mote: “Sustentabilidade, cultura, gastronomia e turismo fazem deste um evento com receita necessária para o sucesso e para ficar”, concluiu Paulo Lopes Silva.

Podcast Jornal de Guimarães
Episódio mais recente: O Que Faltava #73