skipToMain
ASSINAR
LOJA ONLINE
SIGA-NOS
Guimarães
24 junho 2024
tempo
18˚C
Nuvens dispersas
Min: 17
Max: 19
20,376 km/h

Uma voz do Brasil entre sons do mundo: Ayom mostra-se esta sexta no CIAJG

Redação
Cultura \ quinta-feira, julho 15, 2021
© Direitos reservados
O segundo concerto do Terra arranca às 19h30. A compositora e vocalista Jabu Morales dita o andamento de um coletivo que bebe da música popular brasileira e dos sons africanos e mediterrânicos.

Está a chegar a Guimarães uma banda que transporta o nome de uma entidade presente em várias culturas ancestrais do mundo – na África, na América Latina ou na Europa – e que teve o homónimo álbum de estreia distinguido como um dos dez melhores de 2020 em world music, para a revista britânica Songlines. Os Ayom dão o segundo concerto da terceira edição do Terra às 19h30 desta sexta-feira e prometem transformar a black box do Centro Internacional de Artes José de Guimarães num cruzamento dançável de música popular brasileira com influências afro-latinas, afro-portuguesas e mediterrâneas.

Dona de um timbre de Belo Horizonte polvilhado com nuances de Barcelona, a sua casa desde 2008, Jabu Morales é o rosto que lidera um elenco de músicos de Angola, da Grécia e de Itália, formado ainda por Alberto Becucci (acordeão), Timóteo Grignani e Walter Martins (percussões), Ricardo Quinteira (contrabaixo) e Olmo Marin (cordas).

 

Tempo para o Movimento dos Trabalhadores Sem Terra

Além da performance de Ayom, a Capivara Azul, associação cultural que criou o Terra, propõe ainda a exibição de Chão, às 17h00 de sábado, no mesmo espaço. O documentário de Camila Freitas retrata o Movimento dos Trabalhadores Sem Terra no Brasil.

No final da sessão de cinema, haverá uma conversa com Manuella Bezerra de Melo, jornalista, escritora e investigadora e uma das organizadoras da antologia de poetas estrangeiros residentes em Portugal “Volta para a tua terra”, acabada de lançar pela Urutau.

Os bilhetes para Ayom têm preços entre os 5 euros (para portadores do Cartão Quadrilátero Cultural e sócios Gerador), 7,5 euros (menores de 30 anos e outros descontos A Oficina) e 10 euros (público geral), dando acesso às exposições do CIAJG no dia do espetáculo e à sessão de cinema desse mesmo fim de semana. Os bilhetes para as sessões de cinema custam 3,5 euros, mas a entrada para os associados do Cineclube de Guimarães é gratuita.

A obra de Camila Freitas será o segundo dos quatro filmes programados para o Terra. Os próximos são As Boas Maneiras (Juliana Rojas e Marco Dutra), documentário exibido a 02 de outubro que vai acompanhar o concerto de Liu Fang (China), no dia 01, e Baronesa (Juliana Antunes), que será exibido a 30 de outubro, um dia antes do encerramento do festival, com Luedji Luna (Brasil).

Podcast Jornal de Guimarães
Episódio mais recente: O Que Faltava #73