skipToMain
ASSINAR
LOJA ONLINE
SIGA-NOS
Guimarães
22 maio 2024
tempo
18˚C
Nuvens dispersas
Min: 17
Max: 19
20,376 km/h

Efemérides vimaranenses de 2022

Amaro das Neves
Opinião \ segunda-feira, janeiro 17, 2022
© Direitos reservados
No calendário, costumam registar-se as efemérides a celebrar no ano que se segue. Aqui fica meia dúzia de acontecimentos que se destacam do calendário das evocações de 2022.

A entrada de um novo ano é tempo de balanço do ano que foi (já tivemos anos melhores, há que dizê-lo) e de fazer planos para o futuro. No calendário, costumam registar-se as efemérides a celebrar no ano que se segue. Aqui fica meia dúzia de acontecimentos que se destacam do calendário das evocações de 2022.

Sesquicentenário da “questão do Seco”.

No dia 11 de fevereiro de 1872, um juiz prepotente decretou a suspensão provisória ao advogado Avelino da Silva Guimarães, à altura em funções como presidente da Câmara, que questionara os seus procedimentos na administração das crianças expostas. A reação à suspensão marcou um momento de viragem na atitude dos vimaranenses perante as iniquidades dos poderes que lhes eram impostos de fora. Naqueles dias, Francisco Martins Sarmento, saiu do recato dos estudos e não esteve com meias medidas: fundou e financiou um jornal, A Justiça de Guimarães, que deu voz a uma violenta campanha contra o juiz Seco. Quando a Relação do Porto anulou a suspensão imposta ao prestigiado advogado vimaranense, a cidade festejou com uma filarmónica nas ruas, foguetes — e alguns petardos, que rebentaram junto à residência do juiz. Em agosto, quando o juiz Francisco Henriques de Sousa Seco foi obrigado a retirar-se de Guimarães, a cidade acompanhou a sua saída com uma festa ruidosa.

IV centenário do Torcato Peixoto de Azevedo

No dia 2 de maio de 1622 nasceu o padre Torcato Peixoto de Azevedo. Genealogista com vasta obra que deixou inédita, é o autor das Memórias Ressuscitadas da Antiga Guimarães", a mais bela monografia que até hoje foi escrita sobre Guimarães, a sua história e o seu património. Só seria impressa em 1845, depois de ter sido plagiada por diversos autores, e em especial pelo Padre Carvalho da Costa, na parte da sua Corografia em que tratou de Guimarães.

75 anos do incêndio e reconstrução da praça de touros

No dia 28 de julho de 1947, o incêndio que destruiu a praça de touros a inaugurar nas festas Gualterianas, que se iriam iniciar poucos dias depois, esteve na origem de um movimento espontâneo dos vimaranenses, que escreveram “uma das mais belas páginas da história desta terra”. A praça de touros, que levara sete meses a erguer, foi reerguida em cinco dias. “A nossa gente é assim”, é o título do poema que Delfim de Guimarães dedicou a este “milagre de coragem e forte querer”.

II centenário do Azemel Vimaranense

Em outubro de 1822, começou a ser publicado em Guimarães o jornal Azemel Vimaranense, um dos mais antigos periódicos portugueses e o primeiro do Minho. Apareceu aquando do juramento da Constituição Liberal e desapareceu em maio do ano seguinte, na sequência da Vilafrancada, insurreição absolutista liderada por D. Miguel. Fundado por liberais convictos, que seriam perseguidos pelos absolutistas, durante a Guerra Civil, teve como principal animador José de Sousa Bandeira, escrivão do judicial da comarca de Guimarães, pioneiro do jornalismo português.

Cinquentenário da morte de Novais Teixeira

No dia 7 de novembro de 1972, faleceu em Paris Joaquim Novais Teixeira, escritor, jornalista, cinéfilo e democrata que nasceu em 1899, na praça da Oliveira, e emigrou para Espanha antes de completar 20 anos. Em Madrid, depois em Paris e no Brasil, frequentou os círculos políticos, literários e artísticos. Foi secretário de Manuel Azaña, presidente da República espanhola. Notabilizou-se como jornalista e analista de política internacional e como crítico de cinema, tendo integrado os júris de diversos festivais internacionais. Cidadão do mundo, quando lhe perguntavam de onde era, Novais Teixeira respondia: Sou de uma pátria pequenina e sólida chamada Guimarães.

Centenário do Vitória

O Vitória Sport Club foi criado em 1922, por um grupo de jovens encabeçado Mariano Fernandes Felgueiras, que seria o seu primeiro presidente. Não se conhecendo a data em que terá sido fundado, a notícia mais antiga que se lhe refere data de 17 de dezembro e anuncia aquele que poderá ter sido o primeiro jogo que disputou.

António Amaro das Neves

Podcast Jornal de Guimarães
Episódio mais recente: O Que Faltava #73