skipToMain
ASSINAR
LOJA ONLINE
SIGA-NOS
Guimarães
21 julho 2024
tempo
18˚C
Nuvens dispersas
Min: 17
Max: 19
20,376 km/h

Quem ganhou as eleições fomos nós!

Vítor Oliveira
Opinião \ sábado, março 16, 2024
© Direitos reservados
Guimarães foi o 5º concelho do país com a abstenção mais baixa em Portugal, nas Eleições Legislativas do último domingo. Os vimaranenses mobilizaram-se. E bem.

Já se devem ter apercebido que, sempre que há eleições, é difícil encontrar perdedores numa noite eleitoral. Todos vencem! Ganha o partido com mais votos. Triunfa o pequeno partido que subiu a sua própria votação. Vence a força política que obteve mais um ou outro vereador/deputado em comparação com o último ato eleitoral…

As noites dos discursos eleitorais, regra geral, são habitualmente transformadas em vitórias, dependendo da perspetiva que se pretende analisar, com cada um a puxar a brasa à sua sardinha. Uma semana depois, sendo assim, olhando friamente para a aritmética dos resultados destas eleições, podemos dizer com toda a propriedade que foi Guimarães quem venceu! Foram os vimaranenses, melhor dizendo!

Entre os 308 municípios que existem em Portugal, Guimarães foi o 5º do país com a abstenção mais baixa! Por outras palavras, fomos o concelho com uma das maiores percentagens de eleitores que saiu de casa para ir às urnas exercer o seu direito cívico. Um exemplo de maturidade cívica e responsabilidade democrática nas vésperas dos 50 anos de Abril, quando muitos projetavam indefinição, alheamento, dúvidas e incógnitas mil no desfecho eleitoral.

Este foi o melhor resultado para Guimarães: a elevada adesão de eleitores! Que quiseram “falar” com os políticos através do seu sentido de voto, expressar a sua vontade, evidenciar uma posição.


ABSTENÇÃO | LEGISLATIVAS 2024

1º Sardoal [Santarém]: 24,3%
2º Corvo [Açores]: 25,1%
3º Arruda dos Vinhos [Lisboa]: 25,3%
4º Maia [Porto]: 25,5%
5º GUIMARÃES: 25,6%
308º Ribeira Grande [Açores]: 61,5%


O dia de reflexão tem de deixar de ser, pois, o dia de sábado antes do domingo de eleições. O dia de reflexão tem de ser o dia após o ato eleitoral – que não deve nunca ser ignorado por quem perde, nem tão-pouco por quem ganha. Porque permite fazer análises, corrigir erros, comparar métricas, realçar variáveis, aperfeiçoar políticas, tirar ilações.

O dia seguinte é um dos mais importantes. Para iniciar uma governação ou começar do “zero” um projeto político. Invistam no mérito, na qualidade, na competência, na experiência, na ética, na decência e na transparência. Apostem nas pessoas e resolvam os principais problemas de quem está cansado de… sobreviver!

Já agora, entendam de uma vez por todas as razões que nos trouxeram até aqui. Os resultados eleitorais têm sempre várias leituras. E interpretações. E há sempre mais uma a fazer: deixar de continuar a meter a cabeça na areia, com uma aposta incompreensível nas mesmas fórmulas na esperança que se chegue a um resultado diferente!

Agora, sim, é para refletir!
E agir.
Com rapidez e honestidade.

Podcast Jornal de Guimarães
Episódio mais recente: O Que Faltava #73