skipToMain
ASSINAR
LOJA ONLINE
SIGA-NOS
Guimarães
07 junho 2023
tempo
18˚C
Nuvens dispersas
Min: 17
Max: 19
20,376 km/h

Um pouco do Mundo numa viela

Paulo Mateus
Opinião \ segunda-feira, agosto 23, 2021
© Direitos reservados
Depois de ouvirmos as explicações de cada petisco, ficamos com a sensação de que não foi tempo perdido entrar na Petiscaria Moderna.

Hoje vamos dar um passeio pelo sempre lindo e único centro histórico de Guimarães. Numa das suas muitas vielas estreitas, encontra-se uma petiscaria que, por momentos, nos faz esquecer a comida convencional portuguesa e viajar por um mundo gastronómico exótico e diferente. Eu bem gostaria de viajar em tempos de pandemia e ir provar a cada país os seus petiscos, mas como o verbo viajar soa por enquanto a um verbo estranho, nada melhor do que abrir o palato a outras experiências sensoriais.

Bernard Shaw escreveu um dia ”Não há amor mais sincero, do que o amor pela comida”: nunca esta frase fez tanto sentido. Desde logo se pensar no Castas – Petiscaria Moderna, um gastropub, onde podemos degustar petiscos com um cheirinho do mundo, que aos poucos começa a abrir e a receber turistas; provar um Bao de Pernil, um pão de origem chinesa que tem uma dobra muito própria para receber
todo tipo de recheio (o porco é o recheio mais clássico), as Croquetas de Txangurro de Caranguejo,
com origens no País Basco, os Dumplings de Camarão, pequenas trouxinhas de massa muito fina, o
Ceviche de Salmão, prato delicioso da culinária peruana, as Gyosas de Frango, um prato oriental muito
comum no Japão, o Pani-Puri de sapateira, com os cheiros da Índia ou uma Burrata Italiana com pesto de tomate. Petiscos que põem à prova a nossa capacidade de comer com as mãos e experimentar sabores e texturas diferentes.

Confesso que sou um fã desta petiscaria. A Paula e o Miguel estão de parabéns pela coragem de, em pleno centro histórico, terem uma casa aberta com uma oferta gastronómica “fora da caixa”, fora do comum, num ambiente descontraído, informal, até algo intimista, acompanhado de fantásticos cocktails, em especial o Negroni (este não podia faltar, já se torna um hábito falar nesta bebida...), um Gin em copo fumado ou Moscow Mule, feitos pela mão experiente do Paulo Silva. Mas há quem não aprecie cocktails. A contar com isso, a petiscaria tem uma excelente carta de vinhos, onde boas castas não faltam.

Tirando o facto de o espaço ser muito reduzido, é uma ótima petiscaria, um espaço alternativo, a visitar
quando queremos fugir aos restaurantes mais tradicionais que enchem o centro histórico. Sabe bem
de vez em quando experimentar algo novo, algo que nos enriqueça culturalmente. Depois de ouvirmos
as explicações de cada petisco, ficamos com a sensação de que não foi tempo perdido entrar na Petiscaria Moderna, pois aprendemos um pouco mais sobre o que se come por esse mundo fora sem sairmos de
uma viela em Guimarães.

Podcast Jornal de Guimarães
Episódio mais recente: O Que Faltava #52