skipToMain
ASSINAR
LOJA ONLINE
SIGA-NOS
Guimarães
15 junho 2021
tempo
18˚C
Nuvens dispersas
Min: 17
Max: 19
20,376 km/h

Praias fluviais sem regulação causam receio no PAN Guimarães

Hugo Marcelo
Ambiente \ quinta-feira, junho 10, 2021
© Direitos reservados
O partido informou ainda que vai apresentar à CM de Guimarães um conjunto de propostas no sentido de acautelar e/ou regular a abertura de praias fluviais e parques junto aos rios do concelho.

À boleia da abertura das ecovias do AVE e do Selho, o PAN Guimarães receia que comece a moda das praias e piscinas fluviais no concelho, com a quase inevitável deposição de areia nas margens do rio, a construção de infraestruturas e equipamentos de apoio e de recreio, incluindo acessos e estacionamentos, sem qualquer critério e norma reguladora.

Em comunicado, o partido refere que desde o anúncio da abertura das referidas ecovias, já se notam as movimentações das freguesias ribeirinhas para criarem novos parques de lazer e parques desportivos junto ao rio - Parque de Lazer do Moinho, na UF de Santo Estêvão Donim ou de alargarem os já existentes como por exemplo o Parque de Lazer da Praia Seca, situado na Freguesia de Caldelas.

O porta-voz do partido, Nuno Teibão afirma que "a prioridade deve ser despoluir e renaturalizar os rios, incluindo as suas margens, para que também possam ser usufruídos pelas populações em segurança e em equilíbrio com a natureza, contudo não devemos promover atividades de recreio e negócio sem critério nem regulação. Os caudais dos rio Ave e Selho são, como é bem sabido, muito diminutos nos meses de verão, e nas suas margens as praias fluviais naturais são praticamente inexistentes, ou de dimensão muito diminuta. O que temos são algumas piscinas, muitas vezes a montante de açudes construídos pelo Homem", refere.

Nuno Teibão acrescentou ainda que, há poucos dias, um partido político "com responsabilidades mostrou-se desagradado com o facto de Guimarães ainda não ter uma única praia fluvial certificada. O que é estranho, pois todos sabemos que a água dos rios do concelho, ainda não tem a qualidade que deveria ter, e o problema não reside apenas nas descargas poluentes que continuam a acontecer. Nós, PAN, lançamos o repto à CM de Guimarães e às juntas, mas também aos particulares, de adquirirem e/ou utilizarem terrenos junto ao rio para destiná-los à preservação da natureza. Precisamos urgentemente de mais projetos como o das Charcas de Castelões".

Pub

Artigos relacionados

Podcast Jornal de Guimarães
Episódio mais recente: O Que Faltava #04