skipToMain
ASSINAR
LOJA ONLINE
SIGA-NOS
Guimarães
14 junho 2024
tempo
18˚C
Nuvens dispersas
Min: 17
Max: 19
20,376 km/h

O regresso do Moreirense

Raul Rocha
Opinião \ sábado, abril 22, 2023
© Direitos reservados
O Moreirense mostra a força do futebol no Quadrilátero Urbano do Baixo Minho. Que na próxima época terá 6 equipas na I Liga. Não haverá outra qualquer região do país com essa representação.

O Moreirense vai regressar à I Liga na próxima época, retomando um estatuto que lhe tem sido comum há mais de vinte anos. É um sucesso quase ímpar em Portugal, embora nos tempos de hoje menos inédito no nosso país futebolístico.

O Moreirense é um clube da vila de Moreira de Cónegos, pequena comunidade do sul concelhio com pouco mais de 5 000 habitantes, e em declínio de desenvolvimento depois dos períodos áureos da economia têxtil da segunda metade do século passado.

Nos projetos empresariais desportivos de hoje, começa a contar menos a relação empresa desportiva/comunidade. O Belenenses SAD vai passar na próxima época a ser o Cova da Piedade (Almada) e o Vilafranquense muda para o Aves SAD.

Mas o Moreirense é um clube de comunidade. Foi ali, enraizado, que começou nos anos 30 do século passado em grande rivalidade com o vizinho Vizela, suspendeu a atividade durante alguns anos, mas retomou nos anos 1970, sempre em percurso ascensional.

Foi, porém, no século XXI, desde 2001 até hoje, 2023, que se consolidou. Sempre na presidência de Vítor Magalhães embora se deva reconhecer os alicerces construídos por aqueles que o antecederam: os irmãos Manuel Almeida, Orlando Almeida, José Almeida. Mas também os dirigentes mais da base associativa, de que valorizo dois meus grandes amigos, o Orlando Alhinho, o José Carlos Pereira, como no presente o António Brás.

Escrevo estes nomes para insistir na tese de que no Portugal futebolístico de hoje, onde os projetos empresariais desportivos se deslocam ao longo do território, e por isso podem ser localizados em pequenas comunidades, o Moreirense não cabe nesses exemplos.

A sua raiz e o seu presente é Moreira de Cónegos.

Essa realidade é notável. Porque é algo consolidado ao longo de 20/30 anos. Não é um “fogacho” de um empresário endinheirado que, em dado momento, quis notoriedade e investiu num brinquedo.

Não, o Moreirense mostra a força do futebol no Quadrilátero Urbano do Baixo Minho. Que na próxima época terá 6 equipas na I Liga. Não haverá outra qualquer região do país com essa representação. A Área Metropolitana de Lisboa terá 5. O Grande Porto, 3. O Algarve, 2. Trás – os – Montes, 1. Aveiro (interior), 1.

Este retrato do futebol no Portugal de hoje mostra como mudou a geografia do país futebolístico. Já houve 4 equipas da Margem Sul, já houve Alentejo, já houve os clubes das grandes cidades do centro: Aveiro, Coimbra, Viseu, Covilhã, Leiria. Nesta época, a terminar, ainda havia Açores e Madeira. Em 2023/2024 tudo isso estará ausente, tudo mudou.

Podcast Jornal de Guimarães
Episódio mais recente: O Que Faltava #73