skipToMain
ASSINAR
LOJA ONLINE
SIGA-NOS
Guimarães
02 fevereiro 2023
tempo
18˚C
Nuvens dispersas
Min: 17
Max: 19
20,376 km/h

Apontamentos sobre o Natal: histórias e curiosidades

António Paraíso
Opinião \ quinta-feira, dezembro 23, 2021
© Direitos reservados
O Natal é, por excelência, época de esperança, paz e amor. O mundo cristão celebra o nascimento de Jesus. E há histórias e curiosidades na origem do presépio, da árvore, dos enfeites ou dos sinos.

O Natal é, por excelência, a época da esperança, da paz e do amor. Nesta altura, o mundo cristão celebra o nascimento de Jesus, o Salvador. E as festas de celebração são plenas de histórias, curiosidades e simbologia que é interessante conhecer.

 

A árvore

A árvore de Natal remonta ao uso simbólico de plantas perenes no Antigo Egito e Roma Antiga. Os seus ramos ficavam pendurados nas portas e janelas, pois acreditava-se que afastavam bruxas, fantasmas, espíritos malignos e doenças. Mais tarde, continua com a tradição alemã de árvores de Natal à luz de velas. A árvore enfeitada dentro de casa, tornou-se tradição nesta altura, em todos os lares cristãos. O hotel Emirates Palace em Abu Dhabi detém o Recorde Mundial do Guinness da árvore de Natal mais cara do mundo, avaliada em 11 milhões de dólares. Um paradoxo, esta árvore de Natal num país que não é cristão.

 

O presépio

O primeiro presépio foi montado por São Francisco de Assis, numa gruta em Greccio, perto de Roma, no Natal de 1223. Na época, a Igreja não permitia a realização de representações litúrgicas nas paróquias, mas São Francisco pediu a dispensa da proibição, para explicar ao povo como foi o nascimento de Jesus Cristo. A partir do século XVIII, tornou-se tradição cristã montar o presépio em casa.

 

Os sinos

O Natal e os sinos sempre estiveram associados. O som dos sinos de igreja, os sinos de mão e os pequenos sinos do trenó são típicos desta temporada. Na época vitoriana era usual cantar-se canções de Natal, ao som dos sinos. Henry Wadsworth Longfellow inspirou-se no dia de Natal de 1863 e escreveu o célebre poema que se tornou canção de Natal “I Heard the Bells on Christmas Day”.

 

Paz

A frase “paz na terra” é frequentemente ouvida nesta época do ano. A Paz de Natal é uma tradição baseada na antiga legislação sueca, criada no século XIII por Birger Jarl, estendendo a tradição da Trégua de Deus. A Declaração de Paz de Natal permaneceu na Finlândia, onde ainda é uma parte importante da tradição do Natal.

 

Enfeites

A decoração da árvore de Natal permite momentos felizes em família. Essa tradição começou na Alemanha no século XVI, com frutas e nozes a adornar as árvores, enquanto as folhas caíam, para simbolizar a promessa do retorno da primavera. Em 1605, o primeiro abeto foi usado como árvore de Natal e decorado com rosas de papel, velas, nozes e frutas. Na altura isso foi uma inovação. Em 1800, na Alemanha, Hans Greiner começou a fazer bolas de vidro e rapidamente se tornaram os primeiros enfeites de Natal fabricados.

 

Anjos

O termo "anjo" significa "mensageiro". Os anjos desempenham um papel importante na história do Natal. No topo da árvore de Natal, antigamente havia um Menino Jesus, mas com o tempo, evoluiu para uma estrela ou um anjo, ambos símbolos cristãos da Natividade de Jesus. Os anjos aparecem no Antigo e no Novo Testamento da Bíblia Sagrada como representantes de Deus, transmitindo notícias ou predizendo o futuro. São também considerados protetores. Desde a era vitoriana, os cristãos começaram a usar anjos no topo da árvore de Natal para afastar os maus espíritos de suas casas.

Caros leitores, desejo-vos um Feliz Natal e um Novo Ano com saúde e pleno de realizações.

Podcast Jornal de Guimarães
Episódio mais recente: O Que Faltava #43